24 agosto 2012

Estilo "versus" consciência

Mamãe aliá banhando seu filhote -- imagem retirada do site Beautiful Animals.
 O que é mais importante para você: estilo ou consciência limpa?
     Sempre fui apaixonada por cinco animais não-tão-populares: pinguins, porcos, focas, girafas e elefantes*. Uma das coisas mais lindas que vi foi um bebê elefante com poucas semanas, e um dos momentos mais incríveis que vivi foi quando um filhote de girafa colocou a cabeça bem pertinho de mim, quando eu andava de jipe num mini-safari em um parque de diversões... Mas não é só por gostar tanto desses bichinhos que estou "injuriada".
*Além de cachorros, é claro! Quem não é apaixonado por cachorros?

     Ao abrir a página da Uol, logo hoje de manhã, me deparei com uma notícia que chega a ser bizarra, de tão absurda que é num momento como esse: "Empresário do interior de SP faz botas com hipopótamo, elefante e arraia". De acordo com tal notícia, referido empresário possui uma fábrica de acessórios e vestuário country, e produz calçados com couro de elefante, arraia, avestruz, pirarucu, jacaré e cobra, e com preços que vão de R$750,00 a R$55 mil!

     Minha implicância não é, necessariamente, com a matança de animais, mas, sim, com a matança de quais animais. Sei que minha frase soa polêmica, mas, apesar de ser extremamente simpática a veganistas e movimentos como o PETA, infelizmente não consigo me tornar vegetariana e, mesmo adorando porquinhos, não nego que os consumo... 

     Agora, uma coisa que "atenua" a minha culpa - mas que, obviamente, não me exime - é o fato de que os produtos animais que consumo derivam de criação para fins precipuamente alimentares. Porém, o que dizer de animais que são mortos exclusivamente para que suas peles sejam vestidas? Penso que, se um animal foi morto, então que seja "honrado" e aproveitado ao máximo, então não posso me coadunar com adoradores de casacos feitos com peles de raposa, chinchila, filhotes de foca, e muitos outros. 

Não parece que este bebê está sorrindo? -- imagem retirada do R7.

     O problema é que, com o suposto "progresso" brasileiro e o surgimento dos "novos ricos", esse tipo de comercialização ganha espaço no mercado nacional, e, com isso, também as classes mais baixas passam a "cobiçar" tais itens. Daí para a inserção de tais peles em produtos mais "acessíveis" é um pulinho, e foi exatamente o que aconteceu há alguns meses com a Arezzo

               A coleção "Pelemania", da Arezzo, foi recolhida das lojas após manifestações negativas pela internet.                     -- imagem retirada do site da Folha.

     Àquela altura, porém, o estrago já estava feito. Centenas de raposas e coelhos já tinham sido mortos para a confecção dos acessórios da marca, e os itens de pele já haviam se tornado hit da estação, tal qual a Arezzo divulgara...

     Contudo, não é simplesmente porque a marca "X" ou "Y" lançou um produto, que obrigatoriamente ele se tornará uma "tendência", não é mesmo? E é preciso reconhecer que algumas pessoas tiveram um papel fundamental na popularização da pele no ano passado, e também neste ano: as blogueiras famosas que postam "looks" do dia. A proliferação de composés nesse meio com acessórios em pele foi tanta, que rendeu até um excelente post sobre o assunto no Shame on You, blogueira!, intitulado Dossiê Chinchila.*
*Por motivos que desconheço, tal post foi retirado do ar.

     Acontece que, àquela altura, o mercado nacional já estava ávido pelo consumo de produtos em pele, fosse ela verdadeira ou não. E, sinceramente, quem usa pele sintética não está também a tremular a bandeira pró-pele? Um chaveiro ridículo e falso de rabo de raposa também não faz uma apologia à matança de raposas simplesmente para "roubar" seus rabos e utilizá-los em chaveiros ridículos e verdadeiros? Ou você não consegue visualizar o restante do corpo do animal "inspirador" quando vê um rabo de raposa falso?


            Um sonoro "Affe!" pra quem teve a "brilhante" ideia para essa "tendência" que, graças a Deus, já foi tarde!          -- imagem retirada do blog Aposta Certa.

     Se a utilização daqueles acessórios por blogueiras famosas acabou por torná-los sonhos-de-consumo das pessoas de classes inferiores, que dirá a sua utilização por artistas! E, sabe quem são os clientes do empresário que citei lá no começo deste post? Ivete Sangalo, Daniel, Paula Fernandes e Fernando e Sorocaba.

     É algo para se pensar... no mínimo!

     Abraços,
myfreecopyright.com registered & protected
Licença Creative Commons
Postado por Júlia

0 vaidosos comentaram:

Postar um comentário

Todas as opiniões expressas em comentários publicados não representam a opinião da autora deste blog, nem a sua conivência com a posição do autor da mensagem publicada. Todos os comentários são moderados. Não serão aceitos comentários indecorosos ou ofensivos.