24 abril 2012

Os preços "justos" de grande parte das lojinhas virtuais

"Avarice", da galeria "The Seven Deadly Sins". Autoria de blackeri. Extraída do DeviantArt.
Vale a pena pagar os preços pedidos por cosméticos em "lojinhas" virtuais?
*Alguns podem achar que o "pecado" que realmente "move" o presente post é, em verdade, o pecado da Inveja. Contudo, a meu ver, o maior problema que assoma o universo das compras virtuais não-autorizadas - pra não dizer ilegais -, ainda é o da Avareza dos vendedores, uma vez que os consumidores, na maioria das vezes, agem de boa fé. 

     Imagine a seguinte situação: você viu o último lançamento da Urban Decay, deseja imensamente adquiri-lo, só que: 1) a marca Urban Decay não é vendida no Brasil; 2) você não está para viajar para um país onde a marca Urban Decay é vendida; 3) tudo indica que o produto muito em breve estará esgotado; 4) você não tem cartão internacional, de modo que não pode comprar em lojas como Beauty Bay e All Cosmetics Wholesale.

     Para adquirir o tão-sonhado produto, suas opções, portanto, costumam restringir-se a somente uma: buscar o auxílio de uma "blogueira-sacoleira"*, ou seja, algúem que possui uma lojinha virtual e que tira um dinheirinho através da comercialização dos produtos que traz de suas viagens internacionais, vendendo-os, na maioria das vezes, sob encomenda, mas também possuindo alguns itens a pronta entrega.
* Obs.: não empreguei o termo de modo pejorativo, e, aliás, o estou utilizando para designar tanto aquelas que viajam e trazem os produtos diretamente do exterior, quanto aquelas que moram no exterior e que dão um "jeitinho" de enviar as encomendas em pacotes identificados como gifts.

     Na segunda parte da série de posts sobre compras virtuais e o direito do consumidor, elenquei algumas situações que podem acontecer quando se compra em lojas virtuais, sejam elas grandes lojas ou pequenas lojas. Qual seria a principal diferença entre essas duas categorias? A legalidade. Ora, enquanto uma grande loja virtual comercializa produtos que entraram legalmente no Brasil - e, por isso, têm que recolher todos os tributos inerentes a essa atividade -, as pequenas lojas normalmente comercializam produtos que ingressaram no país de forma ilegal, porém com uma aparência de legalidade. Ou você acredita que as "blogueiras-sacoleiras" que viajam para o exterior nunca estouraram a sua cota? Ora, como trazer dos EUA, por exemplo, mais de 20 caixas de pincéis Make Me Up da Sigma, de uma só vez, pode caracterizar "uso pessoal"?

     Olha, eu não faço ideia de como as "blogueiras-sacoleiras" viajantes fazem para não ser pegas pela Receita Federal quando desembarcam no Brasil... Não faço mesmo! Ainda que elas corram todo esse risco de serem taxadas e de terem seus produtos apreendidos, pelo fato de elas não recolherem os tributos, não consigo concordar com o preço abusivo pelo qual a maioria vende!

     Talvez muitos pensem: "Se o produto é relativamente inacessível por outro modo, então quem pode vendê-lo tem o direito de exigir o valor que quiser, e paga este valor apenas quem quer". Ok, ok. É a velha regra do "manda quem pode; obedece quem tem juízo" aplicada de forma desvirtuada, querendo significar que todos têm o livre-arbítrio de escolher se, ainda assim, vai adquirir o produto ou não. É só que, convenhamos: é justo adquirir um produto por R$ 320,00, quando a "blogueira-sacoleira" que mora no exterior pagou por ele U$ 109? (o que, hoje, daria em torno de R$ 200,00 - e, detalhe: o frete internacional ainda é por conta da compradora, pois o produto será enviado diretamente dos EUA para a sua casa)

     Certa vez contatei uma dessas "blogueiras-sacoleiras" que viajam e solicitei um orçamento de refis de sombra M.A.C, que, aqui no Brasil, são vendidas nas lojas físicas da própria M.A.C pela bagatela de R$ 49,00. Qual não foi a minha surpresa quando, dias depois, responderam-me que, se eu quisesse encomendar os refis, cada um sairia pelos mesmos R$ 49,00! Diante de tal resposta, questionei à blogueira que, se eu quisesse comprar por tal valor, compraria na própria loja da M.A.C, onde eu poderia, inclusive, testar todas as cores que quisesse. (É, talvez eu tenha até sido um pouco indelicada... Me desculpe, amiga "blogueira-sacoleira"...) Mais alguns dias e um novo e-mail chega com a informação de que aquele valor era o menor que podia ser feito.

     Como se diz aqui no meio virtual: "Ah, tá! Senta lá, Cláudia!"

     De acordo com o site internacional da M.A.C, cada refil de sombra pode ser adquirido por U$ 11,50. Se você encomendar o refil com alguém que vá, por exemplo, para Nova York, ao valor final da compra deverá ser acrescido 8,65% de taxas, de modo que aquele refil sairia por U$ 12,49. Agora, se considerarmos que a mesma sombra será comprada quando o valor do dólar turismo estava fixado em R$ 1,85, convertendo-se os U$ 12,49 para real, chegaremos à quantia de R$ 23,10 por sombra. 

     Acontece que, como mencionei, a "blogueira-sacoleira" viajante em questão pediu R$ 49,00 por uma sombra que comprará em Nova York por R$ 23,10. Não estou aqui para criticar o fato de ela visar auferir lucro com aquela venda; de modo algum! Todavia, entre R$ 49,00 e R$ 23,10 há uma diferença de R$ 25,88, que seria o lucro que a "blogueira-sacoleira" teria por sombra vendida, e que corresponde a 52% do valor total da sombra vendida. E isso para não falar do fato de que, ao contrário do que acontece nas lojas físicas da M.A.C no Brasil, não incide sobre elas a alta carga tributária brasileira. É mole?

     Sobre o valor original de um refil de sombra M.A.C, portanto, a "blogueira-sacoleira" viajante lucra mais do que o valor integral da aquisição. Se a sombra foi comprada por R$ 23,10, ao obter sobre ela um lucro de R$ 25,88, nota-se que, além de mais R$ 23,10, houve ainda um acréscimo de R$ 2,78, de modo que, ao final, a "blogueira-sacoleira" acabou por auferir mais de 100% de lucro sobre o produto.*
*Lembrando que, nesse tipo de comercialização, normalmente o comprador tem que depositar antes da viagem 50% do valor final do produto, o que faz com que, para a aquisição do mesmo, a "blogueira-sacoleira" não tenha que dispender um centavo sequer para trazê-lo. 

    Supondo, então, que uma pessoa viaje para Nova York e pretenda ficar por lá durante 5 dias. Olhando no site da CVC (minha intenção não é fazer propaganda, mas somente ilustrar meu post), temos que o pacote nessas condições e com o valor mais baixo sai por R$ 4.023,88, já com as taxas e simulando-se a saída diretamente de São Paulo. Supondo, agora, que esta "blogueira-sacoleira" viajante possua encomendados 20 kits Make me Up da Sigma, mais 20 paletas UD Naked (1 e 2), e mais umas 5 bases Matchmaster, da M.A.C*, pode ocorrero seguinte:
*Note que não é nada difícil encontrarmos uma "blogueira-sacoleira" que tenha uma listinha semelhante...


  • 20 kits Make me Up: Custo = U$ 2.348,95 (já incluso o frete para um hotel). Cada kit acaba saindo por U$ 117,45, o que, com o real a R$ 1,85, é igual a R$ 217,27 de custo por kit. Acontece que cada kit foi encomendado pelo valor de R$ 320,00, de modo que, para cada kit vendido, a "blogueira-sacoleira" acabará lucrando R$ 102,00, e, vendidos todos os 20 kits, ela terá lucrado, só com eles, R$ 2.054, 44.
  • 20 paletas UD Naked (tanto a 1 quanto a 2): Custo = U$ 1.086,50 (com taxas para NY). Cada paleta acaba saindo por U$ 54,32, o que, com o real a R$ 1,85, é igual a R$ 100,50 de custo por paleta. Acontece que cada paleta foi encomendada por R$ 198,00, de modo que, para cada paleta vendida, a "blogueira-sacoleira" lucrará R$ 97,50, e, vendidas todas as 20, ela terá lucrado R$ 1.950,16.

  • 5 bases Matchmaster M.A.C: Custo = U$ 179,27 (com taxas para NY). Cada base sai por U$ 35,85, o que, com o real a R$ 1,85, é igual a R$ 66,33 de custo por unidade de base. Acontece que cada base foi encomendada pelo valor de R$ 150,00, de modo que, para cada unidade vendida, a "blogueira-sacoleira" lucrará R$ 83,67, e, vendidas todas as 5, ela terá lucrado R$ 418,35.


     Só com os itens acima, a "blogueira-sacoleira" viajante lucrou, portanto, a quantia de R$ 4.422,95, ou seja, só com a venda desses itens a viajem dela praticamente já saiu "de graça". Agora acrescente os vários Benefit High Beam a R$ 85,00, os batons da M.A.C a R$ 55,00... Pois é!

     Sabe, eu não vejo mal algum no fato de uma pessoa conseguir pagar sua viagem com os valores obtidos da venda de produtos comprados na própria viagem (não sou da Receita Federal, então... não vejo mesmo mal algum). Mas, sempre que vejo esses valores absurdos pedidos por boa parte das "blogueiras-sacoleiras" viajantes, fico com a impressão de que o valor é forçado justamente para que o orçamento da viagem "caiba" no valor que será arrecadado com as vendas, entende?

     Bom, novamente, cada um é cada um e cada um sabe o que faz com o seu próprio dinheiro. Ainda hoje li um comentário de uma menina que conseguiu vender um batom M.A.C Candy Yum Yum a U$ 90,00 no E-Bay, o que me faz concluir que, infelizmente, enquanto houver um "louco" que pague, qualquer quantia pode ser pedida legitimamente por um produto. E, admito, eu mesma fui uma "louca" algumas vezes...

     Abraços,
myfreecopyright.com registered & protected
Licença Creative Commons
Postado por Júlia

11 vaidosos comentaram:

Senhorita L. disse...

Pois é, temos que pesquisar e muito para encontrar quem tenha um preço amigo. Foi o que fiz quando resolvi que iria comprar o Lip Balm da EOS (post em meu blog). A menina que vende no Mercado Livre tinha um preço melhor, 18 reais (eu não teria que esperar um mês) e você poderia pegar com ela em São Paulo, se caso morasse em São Paulo. Eu paguei mais caro porque moro no fim do mundo e então tive que pagar o frete. Outro desejo é a paleta Naked da Urban Decay. Por enquanto está só no desejo mesmo...

Júlia disse...

@SENHORITA L.

hahahaha! Também tenho que pagar mais caro por morar no fim do mundo! Mas, se SÓ o frete é que fosse o problema... Minha Naked encomendei de uma amiga que viajou pra Miami em fevereiro. Acabei pagando nela só os U$ 50 mais as taxas, e, como o dólar tava, na época, a R$ 1,78, acabou saindo por menos de R$ 100. Mas já vi de tudo; tem gente que chega a vender por R$ 220!!! Pior do que isso acho que só a paleta UD edição comemorativa de 15 anos da marca - tem gente pedindo R$ 330, dá pra acreditar? Só que, infelizmente, enquanto alguém se atrever a pagar, vão continuar "enfiando a faca" com gosto mesmo!

Obrigada pelo comentário! Bjo!

Priscila Fernandes disse...

Eu concordo muito com vc, Julia...
quando viajei e aceitei encomendas, vendi base da MAC por 70,00. Hoje vejo a mesma pessoa q vendi a base, vendendo a mesma base usada por 80,00, 9 meses depois que a base foi entregue. QUE? :S
Isso eu acho agir de má fé, viu? Opinião minha.

Claro que tem um custo a mais pra quem viaja, tem todo a trabalheira de procurar itens ( as Naked q trouxe de encomenda foi um custo pra achar), ter de carregar akele monte de coisa pra cima e pra baixo, inclusive pra praia, tomando o cuidado pra não deixar no sol, depois pra trazer, tirando espaço de coisas q eu poderia trazer p mim, cm medo de não passar a pesagem, depois ter todo o cuidado de embalar, ir ao correio pra enviar.. Bom, pelo menos pra mim teve um custo mais de mão de obra do que de valor do próprio produto, mas mesmo assim não meti a faca em ninguém, e quem comprou saiu satisfeito.

Pra mim foi bom, lucrei sim, pouca coisa, mas lucrei, e quem comprou lucrou em relação a preço de outras pessoas e também das lojas.

Mas, sendo bem sincera.. vou pensar bem próxima vez q viajar.. porque dá trabalho. hahaah

Bjos, Julia!

Prit
@sacolada

Júlia disse...

@ PRISCILA FERNANDES

Esses dias também vi, num daqueles blogs "especializados" em desapegos, uma pessoa pedir R$ 40 por um batom da Nyx.
QUARENTA-REAIS-POR-UM-BATOM-DA-NYX! EM-DESAPEGO! ¬¬

Quanto a essa trabalheira de procurar-carregar-transportar-embalar os produtos, é justamente a razão pela qual acho sim que quem traz tem que ter um lucro, mas isso não jsutifica um valor pedido quase igual ao da Sacks. Por esses dias mesmo lemos inúmeras críticas de gente dizendo: se por um pouquinho a mais você pode comprar numa loja confiável (leia-se Sacks), pra que se arriscar com "blogueiras-sacoleiras" que, se quiserem, ainda podem facilmente te passar a perna?

Agora, você ainda teve que procurar e carregar as compras para cima e para baixo. Mas e aquelas que "recebem" os produtos diretamente nos quartos de hotel? (Sigmaaaa) Fora o fato de ter que acomodar caixas e caixas dentro de uma mala e conseguir passar pela alfândega, não há mais qualquer entrave!

Maaaaas, se tem quem pague... Que as "vendedoras" aproveitem essa fase!

Pri, obrigada pelo comentário! Bjos!

Nanda Endo disse...

Oie!
Pois sou muito mão de vaca! rs
Concordo dá um trabalhão imenso! E acho sim que tem que ter uma porcentagem como tudo que compramos nessa vida.
Porém povo ganhar mais de 50% nas minhas costas não dá! Pesquiso muito e chego sim até desistir de alguns produtos.
E alguns produtos acho que realmente não compensa. Porque sinceramente pagar R$55 no batom MAC mais frete. Vou na loja e experimento sai R$71 se não empatar vai dar quase na mesma.
Beijos

Júlia disse...

@NANDA ENDO

Na primeira - e única até agora! rs! - vez em que fui numa loja física da M.A.C, lá no Müeller de Curitiba, gastei horas (!) experimentando tudo! Sei que muita gente reclama do atendimento nas lojas da M.A.C, mas naquele dia eu tava tão cansada e acabada (8h de prova num concurso), que os atendentes foram bonzinhos comigo e me deixaram "brincando" com os produtos. hahaha! Meu braço parecia o da Karla Sugar, de tantos swatches que eu fiz! rsrsr

Mas é isso: fui lá, "brinquei" um monte e saí feliz e satisfeita com as 3 sombrinhas que comprei - sim, gastei um tempão para me decidir por 3 sombras! kkkk. Comprei uma Expresso, uma Club e uma Woodwinked, e me decidi por ela não pelas infinitas resenhas, mas pq vi o negócio, senti a textura, testei a pigmentação, me convenci e levei pra casa! E por R$ 49,00 cada uma!

Como você disse, muitas vezes por R$ 71,00, se não empatar, vai dar quase na mesma... E vc ainda pôde testar, sentir, cheirar, se pintar inteira, encher os vendedores e ser feliz! hahahah

Exageros à parte, refletir um pouquinho não é ser mão-de-vaca; é ser consciente ;)

Bjos e obrigada pelo comentário!

Lorena disse...

Já vi menina comprando coisa por US$1,00 lá fora e revendendo por 25 reais. Quando fui reclamar, dizendo que o preço estava absurdamente caro, a garota falou que se as clientes compram é pq querem e disse que bloqueou o meu IP pra eu não poder mais comentar no blog dela... Pode?

Lorena disse...

A blogueira a qual me referi é essa daqui
http://www.maisquebonitas.com/

Júlia disse...

@LORENA

Então... Eu não quis dar nome aos bois, mas foi exatamente essa a pessoa que me disse que não poderia vender um refil de sombra da M.A.C. por menos de R$49,00. Aliás, vi que ela postou uma "pronta entrega" com preços astronômicos! Também tem uma outra famosinha aí que é careira pra caramba e grossa, que te trata no "SAC" como se você fosse uma imbecil por querer questionar algumas coisas.

Mas, é aquela coisa: sempre haverá quem pague preço de ouro por coisas que não valem tanto assim. E pode apostar que tais pessoas ainda se sentem felizes por pagarem, não por que elas acham justo, mas simplesmente para provar que podem pagar.

Obrigada pelo comentário, Lorena. Bjos!

Lorena disse...

Ai menina, eu fiquei tão p* da vida com a resposta que recebi! O pior é que eu fui falar pra minha prima sobre o que aconteceu e ela disse "Ah Lorena, ela é esperta. Ta ganhando bem com isso!". Puxa vida, quando ouvi isso eu me toquei que muitas pessoas fariam (e fazem!)a mesma coisa... Que horror!

Lorena disse...

Pelo menos naquele dia eu peguei o e-mail de várias clientes que comentavam no blog dela e as alertei sobre o preço absurdo e dei dicas de como comprar mais barato lá fora em sites internacionais! Muitas me agradeceram e deixarem de ser clientes dela HAHAHAHAHA

Postar um comentário

Todas as opiniões expressas em comentários publicados não representam a opinião da autora deste blog, nem a sua conivência com a posição do autor da mensagem publicada. Todos os comentários são moderados. Não serão aceitos comentários indecorosos ou ofensivos.